100azimutes


ALBARRACÍN

IMG_1819_Small

Localizada na comunidade autónoma de Aragão, província de Teruel, Albarracín é uma pequena comunidade (cerca de 1075 habitantes em 2007) com origem no período medieval,  encravada sobre uma colina dos Montes Universales, num istmo do Rio Guadalaviar.

Protegida por uma enorme vala que servia de fosso e por um castelo com uma grande muralha exterior, para além de manter a traça arquitectónica pouco alterada, com o traçado das ruas perfeitamente adaptado a uma topografia montanhosa e acidentada, preserva na esmagadora maioria das casas e monumentos, típicas paredes irregulares de estuque/barro avermelhado, com travamentos em madeira. Dizem que os matizes provocados pelo sol na alvorada e crepúsculo são… espectaculares… mas apanhei sempre neblina…

Próximo, a sudeste da Sierra de Albarracín, esconde-se uma das mais incríveis paisagens naturais de Aragão: o Rodeno de Albarracin, lugar singular, formado por florestas de pinheiros nas rochas avermelhadas, foi ocupado pelo homem em tempos pré-históricos, e conserva amostras de arte rupestre.

Outra das características geológicas mais importantes da Sierra de Albarracín são os maciços rochosos denominados por “muelas” (pelas semelhanças com as molas helicoidais), salientes da paisagem com as suas paredes verticais e achatadas nos perfis superiores. As zonas mais “agrestes” situam-se nas sierras Jabaloyas e Tremedal.

Por último mas tão ou mais importante, a Sierra de Albarracin é o local de nascimento do “nosso” Rio Tejo, ficando próximo o PN Alto Tajo – motivos mais do que suficientes para despertar a minha natural curiosidade.

Aproveitando uma janela de bom tempo durante as chuvas torrenciais que afectaram todo o nordeste de Espanha em Agosto (precipitações de até 140 litros por m2/H), ficam as memórias fotográficas desta recente viagem.

Para verem as fotos, cliquem na primeira e sigam o “slide show”.

Anúncios

12 comentários so far
Deixe um comentário

Lindas fotos, em 2014 quero deambular por esses locais, obrigado pela partilha e até breve.
RR

Comentar por Rui Rodrigues

Olá Rui,
Certamente vais gostar (e o HDJ também).
Os tons outonais devem ser fantásticos.
Se fores sozinho e chover, tem cuidado com o barro.
AbraTTo

Comentar por 100azimutes

Mais uma maravilha. Belas reportagens.
Um abraço
João Elias

Comentar por João Elias

Um abraço tb para vocês, nesse país de oportunidades.
Qdo vieres cá, avisa para nos encontrarmos.

Comentar por 100azimutes

Boas. Altas fotos e reportagem. Eu quero lá voltar em 2014, com mais tempo.
Inté

Comentar por Parola Gonçalves

Boas,
Sem esquecer o PN Alto Tajo e Pelarejo de las Truchas 🙂
Tem uns caminhos “altamente”.
Abraço

Comentar por 100azimutes

Bela Reportagem 🙂

Deixou água na boca… 😛
Abraço

Comentar por Diogo

Hei-de regressar, um pouco ao lado, para explorar o PN Alto Tajo.
Talvez na primavera ou próximo outono.
Abraço

Comentar por 100azimutes

Fantástico Ventura!!
Como sempre uma bela reportagem, cheia de fotos maravilhosas.

Abraço

Comentar por Francisco Silva

Obrigado Francisco.
Abraço

Comentar por 100azimutes

Nice… 😀

cláudia damas

Comentar por claudia

Estive por essa zona em Agosto de 2012, não chegámos a ver a nascente do Tejo, por isso e pelo muito que ficou por ver, quero voltar! Obrigado pelo post.

Comentar por Luís Mª.




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: