100azimutes


ISLÂNDIA # ICELAND – 10 (ASKJA – KÁRAHNJÚKAR)

Tal como referido no post anterior, a falta de combustível obrigou-nos a um desvio inesperado até Adalból. Olhando para o mapa, e para a cartografia no computador, tudo indicava que, com alguma sorte e “pé leve”, conseguiriamos lá chegar com os vapores que restassem no depósito. Para o efeito, havia que retroceder até ao cruzamento para as F902 e F910  e fazer figas para que fossem pistas rolantes.

A pista era relativamente rápida no planalto, mas com troços mais lentos entre grandes campos de lava. Confesso que não parámos pois tínhamos receio de que a gasolina acabasse. No entanto, os sucessivos rios acabaram por nos obrigar a parar e registar mais uns bonecos.

Podem ver um vídeo deste rio tormentoso AQUI

Se procurarem na net, encontram poucas referências a Adalból – e com razão. É um pedaço de nada na encosta de um vale, no meio de coisa nenhuma e sem qualquer ponto de interesse mas (há sempre um mas) com um depósito de gasolina! Tem uma história algo tenebrosa de sacrifícios rituais e consanguinidades de resultados imprevisíveis (segundo a lenda, o fundador acabou na fogueira, provando o seu remédio) e, influência do que li ou não, foi o local mais antipático e de onde mais rapidamente quisemos saír em toda a viagem.

Daí que, apesar do adiantado da hora partimos com o depósito cheio, na esperança de chegarmos a Snaefell, passando obrigatoriamente por Hallarfjall. Assim e como à saída havia uma pista não referenciada no mapa mas que no Ozi interceptava a que desejávamos apanhar, decidimos “inventar”. O resultado foi mais tempo perdido e menos hipóteses de chegar ao desejado destino.

A noite foi cerrando mas, com a ajuda do tripé, permitiu uns bonecos muito fixes.

Enésima travessia a vau

... e uma fabulosa lua de "lobisomens"...

Após a fotgrafia que antecede, fizemos o desvio até ao cume da montanha para obter a foto do Hallarfjall que se segue (tirada por volta das 2300), regressando depois ao trajecto iluminado pela full moon.

Hallarfjall

Do lado poente, o céu era simplesmente assim

Depois de tirada esta última foto, acham que seguimos caminho ou montámos a tenda ao lado da pista, fizemos uma fogueira, sopa e umas costelestas de porco grelhadas e acompanhadas de esparguete? Claro que acampámos e nos deliciámos com a paisagem à nossa volta, que quase nos fazia esquecer o muito frio que se sentia mal nos afastávamos do fogo.

Anúncios

1 Comentário so far
Deixe um comentário

FANTÁSTICO
ABRAÇO
FARINHA

Comentar por FARINHA




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: